Compulsão alimentar: como saber se tenho?

Compulsão alimentar é quando a pessoa sente a necessidade de comer, mesmo quando não está com fome, e que não deixa de se alimentar apesar de já estar satisfeita. Pessoas com compulsão alimentar comem grandes quantidades de alimentos em pouco tempo. Durante o episódio de compulsão a pessoa sente perda de controle.

É um dos transtornos alimentares mais comuns na atualidade, que é julgado frequentemente como “falta de disciplina” ou “gula”.

Eu vivo postando no blog sobre vida saudável e a importância dela, e levo isso pra minha vida também, mas eu não sou de ferro…

Quando passo por um período de estresse, nervosismo ou ansiedade a primeira coisa que faço é descontar na comida.

Eu tenho muuuuuuita fome e vontade de comer, é como se eu estivesse grávida. Como de tudo e em grandes quantidades de porcarias.

Sei que isso é uma compulsão alimentar, e pra mim é como se, de alguma forma, eu estivesse “comendo” meus sentimentos.

E o que vem depois disso? Muita culpa e vários quilos a mais!

Muitas pessoas nem imaginam que têm compulsão alimentar, acreditam que somente gostam muito de comer.

Por isso separei as causas mais frequentes que levam á compulsão e os principais sintomas, veja:

Causas da compulsão alimentar

Como se trata de um distúrbio alimentar, as causas não tem uma natureza definida. Cada pessoa pode fazer a combinação de diversos fatores, sejam  eles psicológicos, sociais ou biológicos que ajudam a impulsionar a Compulsão Alimentar, mas algumas dessas causas são mais frequentes:

  • Dieta: As pessoas que fazem uso de dietas muito rígidas e restritivas, acabam, logo em seguida, desenvolvendo a Compulsão Alimentar. Como estas dietas são muito privativas, costumam gerar um sentimento de desânimo que acarreta na incapacidade de parar de comer mesmo quando se está saciado. Desta forma, a pessoa supre, com o excesso de comida, a tristeza que sentiu ao realizar a dieta;

  •   Estresse: As pessoas que são muito estressadas, podem, geralmente, ter momentos que as levem a comer compulsivamente. Este fato leva a um círculo vicioso em que a pessoa come para ficar menos estressada, se sente mais estressada por ter comido tanto e volta a comer para se sentir melhor;

  •   Depressão: Infelizmente, a depressão é um fator determinante para o início de uma Compulsão Alimentar. Pessoas que passaram ou passam por momentos depressivos são mais vulneráveis ao transtorno;

  •   Alimentação emocional: A Compulsão Alimentar também pode atingir pessoas que tem problemas com o peso ou que tem baixa auto estima. Pessoas que tiveram, em sua infância, o uso de alimentos como forma de conforto ou recompensa, também tendem a desenvolver este distúrbio;

  •   Problemas com a imagem corporal: Pessoas que sofrem com a Compulsão Alimentar geralmente não gostam de sua aparência. Sentem medo de engordar, se sentem constantemente gordas e, estes sentimentos, ocasionam tentativas frustradas de fazer dietas mirabolantes que acabam como gatilho para comer ainda mais.

Sintomas da compulsão alimentar

  •  Comer rápido demais;
  •   Comer mesmo sem estar com fome;
  •   Comer até se sentir mal;
  •   Comer continuamente o dia todo, sem ter horários planejados para as refeições;
  •   Comer pouco perto das pessoas e compulsivamente quando está sozinho;
  •   Se sentir culpado ou triste por ter comido demais;
  •   Guardar ou esconder alimentos para comer quando estiver sozinho;
  •   Fazer vários tipos de dietas muito rígidas que resultam em fracasso;
  •   Nunca estar satisfeito com o peso ou a aparência;
  •   A comida se torna um alívio para o estresse, solidão, medo, depressão e ansiedade.

Se você se identificou com os pontos acima, você têm ou passa por períodos de compulsão alimentar. E agora, o que fazer?

O tratamento para a Compulsão Alimentar deve ter o acompanhamento profissional de especialistas em distúrbios alimentares e obesidade, como psiquiatras, psicólogos, médicos, nutricionistas e terapeutas.

Neste tipo de tratamento, o importante é que sejam tratados não somente os sintomas mas também as causas.

O profissional vai direcionar o tratamento tanto para os aspectos físicos quanto para os emocionais.

Em alguns casos, será necessária a ajuda de medicamentos para controlar o distúrbio. Estes medicamentos são utilizados para inibir o apetite, controlar a ansiedade, fobia ou depressão severa.

Faça mais o que você gosta, tenha um hobbie, pratique exercícios físicos, esvazie a mente, medite… Seja pleno e esqueça as neuras!

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram:@matozolarissa

Facebook:Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

Fonte: https://www.vitalatman.com.br/blog/quais-as-causas-da-compulsao-alimentar/

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/compulsao-alimentar https://www.sophiederam.com/br/comportamento-alimentar/como-controlar-compulsao-alimentar/

Imagens: Google

Vamos falar sobre menopausa…

Uns dias atrás perguntei no meu storie do Instagram sobre o que vocês gostariam que eu falasse aqui no blog, e me sugeriram falar sobre menopausa e reposição hormonal.

Adoro a interação de vocês e esse é um tema realmente muito importante, então vamos lá!!!

Todas nós sabemos que a menopausa é algo muito temido pelas mulheres, falar em menopausa é assinar o atestado de velhice.

As mulheres de hoje devem entender a menopausa, não como a porta de entrada para a velhice, mas como o início de uma nova vida repleta de novos interesses e perspectivas.

Com os avanços dos conhecimentos sobre o climatério e menopausa, com os avanços de novas terapias substitutivas, dietas balanceadas, programas de atividades físicas, terapias ocupacionais e emocionais, o envelhecimento passou a ser muito mais harmônico, mais lento e compatível com melhor qualidade de vida.

Saiba que é responsabilidade dos médicos, esclarecer suas pacientes quanto às repercussões físicas e mentais do climatério, orientando medidas preventivas contra doenças e oferecendo apoio psíquico necessário.

A idade média da instalação da menopausa é por volta dos 45 anos. Este é o período em que a mulher deixa de produzir hormônios e poderá ter sintomas muito fortes.

Os sintomas mais comuns são ondas de calor, cansaço, perda da libido e até mesmo depressão.

Na menopausa, os ovários passam a produzir uma menor quantidade de estrogênio e de progesterona e essa diminuição pode levar ao aparecimento da osteoporose, gordurinhas na cintura, e a pele e os cabelos perdem seu brilho. 

Existe sim tratamento para a menopausa, se trata da terapia hormonal (TH), que é a reposição dos hormônios estrogênio e progesterona por meio de medicamentos, alivia efetivamente os sintomas da menopausa e tem como objetivo melhorar a qualidade de vida da mulher nessa nova fase.

Entretanto, é preciso manejar os riscos. A terapia hormonal aumenta as chances do desenvolvimento de algumas doenças, como tromboembolia pulmonar, câncer de mama, câncer de endométrio e doença hepática, além de apresentar sangramento vaginal não diagnosticado ou porfiria (distúrbio provocado por deficiências de enzimas).

O tratamento deve ser individualizado e é preciso acompanhar a manutenção dos benefícios, a melhora da qualidade de vida e o aparecimento de efeitos adversos nas mulheres que optarem por este tratamento. 

Medicine health care contraception and birth control. Oral contraceptive pills blisters with hormonal tablets

Converse com um médico de confiança para entender o que é melhor para o seu caso,ok?!

Alguns alimentos que aliviam os sintomas da menopausa

Soja: O alimento possui uma importante substância chamada isoflavona, que possui uma ação parecida com a do estrogênio no corpo da mulher. Com isso, ela alivia algumas reações causadas pela menopausa, como o ressecamento da pele.

Leite e derivados: O leite é rico em proteínas e cálcio. Como na menopausa o organismo está com a absorção do cálcio prejudicada, pela queda de estrogênio, consumir leite e derivados ajuda a evitar o enfraquecimento dos ossos, que pode resultar na osteoporose. Além de leite e derivados, outros alimentos fontes de cálcio são as hortaliças verdes escuras, como brócolis, rúcula, espinafre e couve.

Peixes: É importante o consumo de peixes, como a sardinha e o salmão, por serem ricos em ômega 3, um ácido graxo essencial para controlar os níveis de colesterol, prevenir doenças cardíacas e ajudar nas funções cerebrais. Essa carne branca ainda é a principal fonte alimentar de vitamina D, que colabora para a formação óssea e facilita a absorção do cálcio. Tomar sol diariamente, pelo menos 15 minutos, também é importante para adquirir essa vitamina.

Oleaginosas: Produtos como castanhas, nozes, óleos vegetais e amêndoas são fonte de vitamina E, o que é benéfico para aliviar as ondas de calor típicas da menopausa. A castanha do Pará é especialmente boa para entrar na dieta nesse período, por conter o mineral selênio, que ajuda a fortalecer as funções cerebrais.

Chocolate amargo: Esse é o chocolate que possui pelo menos 70% de cacau em sua composição. O alimento possui uma substância chamada triptofano, que estimula a produção da serotonina, o hormônio do bem estar. Isso ajuda a evitar problemas como depressão e ansiedade desse período. Alimentos como a banana, o leite e a semente de abóbora também são fontes de triptofano.

E não se esqueça: nada melhor para liberar serotonina do que a prática regular de atividades físicas. Se exercitar não apenas causa bem estar, como fortalece os ossos, controla os níveis de colesterol, evita doenças e rejuvenesce.

Converse com um nutricionista e peça para ele montar o cardápio ideal para você.

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

Fonte: https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/farmacia/menopausa-e-hormonios/352

https://www.gineco.com.br/saude-feminina/menopausa/menopausa-por-que-tratar/

https://www.tuasaude.com/alteracoes-hormonais-na-menopausa/

Imagens: Google

Hábitos do cotidiano que fazem mal e não percebemos

A nossa vida é feita de escolhas e o nosso comportamento fala muito sobre nós mesmos.

Por natureza, somos criaturas de hábito e, na maioria das vezes, fazemos as coisas sem perceber, na verdade.

Isso é uma coisa muita boa quando nossos hábitos são positivos porque nos tornam pessoas mais produtivas. Mas por outro lado, podemos também ter hábitos que afetam a outras pessoas ao nosso redor e até a nós mesmos, considerando que prejudicam nossa saúde.

Abaixo, há uma relação desses maus hábitos podem realmente ser muito prejudiciais para sua saúde mais do que você imagina!

Confira!!

1- Roer as unhas

Esse hábito pode danificar seus dentes, bem como a pele ao redor da unha, e pode resultar em infecção.

Além disso, você também pode contrair mais resfriados e outras doenças quando você coloca seus dedos, que geralmente transportam germes, na sua boca. Outro problema é que suas unhas podem ficar desordenadamente cortadas ou mal tratadas.

Muitas vezes, no entanto, esse hábito pode está relacionado à ansiedade ou estresse. Nesse caso, é importante descobrir e tratar o que está causando tudo isso e fazer coisas para poder controlar. Fale com o seu médico se você quiser ajudar a parar.

2- Prender os espirros

Quando fechamos a boca e tapamos o nariz durante um espirro, aumentamos consideravelmente a pressão intracraniana.

 A circulação cerebral é interrompida, os vasos sanguíneos são comprimidos, assim como os tecidos nervosos. Isso pode provocar dores de cabeça, danos aos vasos sanguíneos e até problemas nos ouvidos. Portanto, não se contenha: espirre o quanto quiser.

3- Má postura

Se você fica com as costas curvadas quando senta ou gosta de passar horas “largado” no sofá, cuidado.

Os músculos das costas e ligamentos têm de trabalhar mais para mantê-lo equilibrado e os resultados são dores na região e também de cabeça, além de fadiga. Portanto, fique sempre atento à postura, faça alongamentos e procure um ortopedista caso tenha problemas para se manter de maneira adequada. 

4- Estalar os dedos

Enquanto sua mãe pode ter insistido que o hábito vai levar à artrite (minha mãe chama minha atenção até hoje por causa disso!), pesquisas desmentem esse mito.

No entanto, Peter Bonafede, diretor médico do Centro de Artrite Providência, nos Estados Unidos, aponta casos de pacientes que deslocaram os dedos e rasgaram o ligamento do polegar. Fora isso, o som do estalar de dedos pode incomodar quem está por perto.  Diga aos seus amigos e familiares que quer abandonar o costume, o que o fará se sentir mais responsável para mudar. 

5- Ficar sentado por longos períodos

É fato: a maioria dos brasileiros passa muito tempo em cadeiras. Parte do problema é o local de trabalho moderno, onde você pode ficar sobre seu computador por horas a fio.

Isso diminui o metabolismo, o que significa que você pode ganhar peso. Também está relacionado a outros problemas de saúde, incluindo doenças cardíacas. Para esses casos, no entanto, há uma solução fácil: basta levantar-se de vez em quando e se mover.  Até mesmo uma caminhada de 10 minutos por dia pode ajudar e fazer você não permanecer no sedentarismo.

6- Sabotar o sono

Se você não dorme o suficiente, você não está apenas se transformando em um zumbi durante o dia, mas também pode ter problemas mais sérios como aumento da pressão arterial, doenças cardíacas, diabetes e depressão.

Além disso, pode ser mais difícil para você aprender, recordar e memorizar coisas. Nesse caso, defina uma rotina de sono regular e mantenha-se firme nela.

E faça o seu melhor para obter o seu tempo de sono ideal, o que em média de 7-8 horas por noite.

7- Comer rápido

Comer de forma rápida pode deixá-lo menos satisfeito – e torná-lo mais propensos a comer demais ao longo do dia.

Se você diminui o ritmo, você pode sentir-se mais saciado com menos alimentos, pois o cérebro demora a receber a informação que você está satisfeito. Diante disso, seu corpo tem a chance de perceber que comeu o suficiente.

Nesse caso, uma dica pode ajudar a você focar enquanto come: coma com pequenas quantidades e mastigue-as bem.

Nosso cérebro, por natureza, procura manter os mesmos hábitos antigos (como se fosse automático) como forma de economizar energia (imagine toda vez que tivesse que dirigir ou abrir a porta de casa, tivesse que pensar em todos os passos para conseguir).

Por essa razão, o início do novo hábito é bem mais difícil devido ao costume, mas é exatamente nesse ponto que você está motivado para mudar e ser capaz de “ensinar” o novo hábito ao cérebro.

Claro, que existem outros fatores que devem ser levados em conta, mas aos poucos, o cérebro se acostuma com o novo hábito e o antigo já não incomoda mais. Pode não ser tão fácil, mas é possível e os resultados compensam, afinal, a saúde é sempre prioridade.

Você tem algum desses hábitos? Quais você gostaria de mudar?

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa 

Bjsss L.C <3

Fonte: https://www.terra.com.br/vida-e-estilo/saude/bem-estar/aprenda-a-eliminar-8-habitos-que-prejudicam-a-saude,ecaa249b9dd6c310VgnVCM5000009ccceb0aRCRD.html https://incrivel.club/criatividade-saude/habitos-cotidianos-que-prejudicam-nossa-saude-207810/

http://www.constantemente.com.br/maus-habitos-que-prejudicam-sua-saude/

Imagens: Google

Cuide de sua saúde mental

O estresse ainda não é oficialmente considerado uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Mas, em função de cerca de 90% da população do planeta sofrer do mal, a entidade já alertou para uma epidemia global. Hoje em dia, o estresse é visto, pela maior parte da comunidade médica tradicional, como um conjunto de sintomas físicos e emocionais que pode levar a outras patologias. A lista de problemas de saúde que podem surgir em função do estresse é imensa. Alguns deles são alergias, transtorno de pânico, infecções causadas por baixa imunidade, depressão, asma , bronquite, contração muscular crônica, enxaqueca, gastrite, obesidade e alguns tipos de câncer.

Algumas pessoas por conta do estresse podem sofrer um AVC ou mesmo um enfarto, isso é muito preocupante!

O estresse acaba com nossa saúde física e principalmente com nossa saúde mental/emocional.

Eu trabalhei em uma empresa onde a cobrança por metas e objetivos eram constante, vivíamos sobre constante pressão e o cansaço emocional foi inevitável.

Tinha dias em que eu chegava em casa tão carregada emocionalmente que a única coisa que eu fazia era chorar sem parar.

Eu chorava de cansaço, acredite se quiser! Era um choro de esgotamento.

Não tinha cansaço físico mas sim mental, esse é o pior tipo de cansaço, por mais que eu descansava eu nunca estava 100%…

Depois que saí da empresa acreditei que iria me libertar de toda essa pressão e estresse, mas não foi assim. Daí que percebi que o estresse estava em mim, eu me tornei uma pessoa muito nervosa, estourada e ansiosa.

Comecei a arrumar meios de me livrar de todo esse lixo emocional que eu mesma colocava sobre mim.

Vim compartilhar as coisas que fiz (e ainda faço) e que deram certo para mim.

Posso dizer que sou uma Larissa completamente diferente do que era há mais ou menos 2 anos atrás.

Siga minhas dicas e seja uma pessoa melhor!

1- Se afaste de pessoas que reclamam de tudo

Conviver com pessoas que são viciadas em reclamar é péssimo. Essas pessoas sugam nossa energia e muitas vezes acabamos virando recalmões também!

Fuja desse tipo de pessoa, corte volta, diga que está com pressa… mas não dê ouvidos e nem participe das reclamações.

2- Seja grato

É incrível como o simples hábito de agradecer muda tudo!

Quando agradecemos acende uma chama de amor e vontade de viver dentro de nós, passamos a reclamar cada vez menos e conseguimos extrair coisas boas de cada situação que nos acontecem, sejam elas boas ou ruins.

O hábito de agradecer torna o que você tem em suficiente e abre espaço para novas experiências de vida.

3- Aprenda a dizer não

Existem pessoas que não conseguem dizer não e por esse motivo vivem frustradas, infelizes e perdem a paz simplesmente porque não querem ver o outro chateado.

Dizer sim e não faz parte da vida, e tem situações em que é melhor o outro ouvir um não seu e você ter paz de espírito, do que ouvir um sim e você ainda passar por uma baita dor de cabeça!

4- Seja gentil, inclusive com você

Seja gentil com as pessoas a sua volta mesmo se elas não retribuírem com gentileza. Faça a sua parte, e lembre-se que cada um dá aquilo que tem dentro de si.

Seja gentil com você também, se trate bem, se cuide e se ame. Você merece!

5- Aprenda com seus erros

Parece clichê mas é a pura verdade! Seus erros são sua escola, você pode aprender com eles ou ser escravo deles.

Cada erro que cometemos nos dá a oportunidade de sermos pessoas melhores, mais evoluídas.

Não se martirize quando errar, pare para pensar, conserte o erro e siga em frente. Amanhã é um novo dia.

6- Adote o hábito da meditação

A meditação me transformou de dentro pra fora. Foi uma das melhores coisas que já fiz por mim!

Depois que comecei a meditar por incentivo do meu esposo (obrigada amor!), sou outra pessoa.

A ansiedade, o estresse, a fadiga, as dores no peito, tudo isso sumiu! Hoje sou uma pessoa tranquila, que não se irrita facilmente, mansa…

Melhorei demais e até meu sono ganhou com a meditação.

7- Tenha um hobby

Eu amo desenhar e pintar, na verdade esses são meus dons naturais, eu não aprendi, eu já nasci com eles.

Mas por muito tempo e pela correria do dia a dia, acabei abandonando e deixando meus dons de lado.

Voltei a pintar e a desenhar e essas atividades me trazem paz e me tranquilizam.

Ter um hobby é muito importante, não subestime seu valor!

8- Tenha alguém em quem confiar

Mesmo que você se sinta sozinho e acredite que ninguém vai te entender e que se você se abrir com alguém essa pessoa vai te julgar, e que não vale a pena o risco, eu quero te dizer que vale!

Tem momentos em que precisamos desabafar, é necessário ou então quase morremos sufocados.

Eu também acreditava que não podia confiar meus medos e angústias a ninguém, até que a vida foi me aproximando de uma pessoa muito especial.

Hoje sei que posso me abrir com essa pessoa sem medo, e que essa pessoa foi um presente de Deus na minha vida.

Abra seu coração e permita que a vida lhe mostre a pessoa confiável e certa para esse seus momentos de angústia.

9- Exercite-se

Nem preciso falar muito sobre os benéficos do exercício físico para a saúde,né!? Inclusive para a saúde mental!

Pare de preguiça e comece, depois de um tempo você se acostuma e não vai mais querer parar.

10- Estimule seu cérebro

Se você não é tão bom em matemática, desafie-se a resolver um cálculo simples; se seu forte não é o português, interprete um texto…

Saia do conforto e do comodismo, desafie e estimule seu cérebro.

Leia um livro e tenha como meta para esse ano ler pelo menos um livro por mês. Sua mente agradece!

11- Deixe a vida te surpreender

Nós temos a falsa impressão de estar no controle, de ter o controle da situação, e quando ‘perdemos’ o controle ficamos extremamente frustrados e irritadiços.

Com esse comportamento acabamos não enxergando as coisas simples e boas que acontecem em nosso dia a dia.

Deixe a vida te surpreender e fique atento á tudo o que acontece no seu dia.

Todo dia de manhã eu falo bem alto: Vida, me surpreenda positivamente hoje!

E dá certo! Todo dia tenho motivos para me alegrar e me surpreendo realmente com a vida!

Vale a pena tentar!

Seu corpo e sua mente precisam estar em total sintonia. Eu mudei, me transformei da água pro vinho exercitando essas 11 dicas que acabei de te dar.

Hoje sou uma pessoa mais leve e alegra. Se eu consegui você também consegue!

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa 

Bjsss L.C <3

Fonte: https://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/12400-estresse-em-excesso-pode-levar-ao-surgimento-de-doencas-graves

Imagens: Google