Outono/Inverno 2019 tendências

O Outono começou quarta-feira, dia 20 e com ele trouxe as tendências para essa época.

Muitas das tendências de moda que prometem fazer sucesso no outono/inverno já apareceram em temporadas anteriores, inclusive na  primavera/verão, como o Neon e o Vermelho e Pink .

Xadrez e Animal Print (onça, zebra e cobra) em versões coloridas

Cores vibrantes são a aposta dos estilistas na hora de deixar as estampas clássicas com pegada mais moderninha.

As padronagens podem seguir combinações tom sobre tom ou ganhar contrastes mais agressivos, com cores complementares.

As estampas inspiradas em animais, como onça e zebra, dificilmente saem dos holofotes fashionistas.

Para o inverno 2019, a dica é procurar por peças que tenham design mais sofisticado ou que apresentem uma pegada esportiva.

A ideia, é trazer o animal print para looks pouco convencionais para esse tipo de estampa. Quanto mais ousado for seu look, mais interessante vai ficar seu visual fashionista.

Além de novas modelagens, essas estampas também aparecerão em estilos diferentes.

Casaco poncho

O casaco poncho é um dos itens que se tornarão queridinhos de quem gosta de praticidade e, principalmente quer um estilo marcante.

Quanto mais parecido com um cobertor (em textura e estampa) a peça for, melhor! Esse detalhe, deixará sua produção elegante e destacada.

A dica, é que, essa peça vai bem, combinada com looks mais básicos, como jeans, camisetas e até em looks de festa.


Laços e babados

Feminilidade com atitude parece ser a chave da estação. Os laços ganham versões dramáticas e bem oversized, nadando na contramão da delicadeza. Já os babados aparecem tanto multicoloridos quanto monocromáticos, brincando com volumes e redefinindo os contornos da silhueta feminina.

Plumas e punhos com detalhes em pele fake

As plumas aparecem para trazer movimento aos vestidos e casacos, ganhando uma proposta mais diurna quando tingidas em cores vibrantes. Muitas marcas apostaram nos suéteres e casacos com punhos de peles bem dramáticos, agregando um volume extra na produção.

Essas são as maiores tendências de moda para a estação, o que vocês acharam? Usariam?

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram:@matozolarissa

Facebook:Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

Fonte: http://www.fashionbubbles.com/estilo/inverno-2019-dossie-com-as-principais-tendencias-em-cores-pecas-e-modelagens-para-os-looks-da-estacao/

https://delas.ig.com.br/moda/2019-03-20/outono-inverno-tendencia-moda.html

11 tendências da moda inverno 2019 que prometem bombar

Imagens: Google

Organização dos medicamentos

Dificilmente escapamos de ter uma farmacinha em casa, algum remédio a gente sempre tem.

Muitas vezes não arrumamos um cantinho só pra eles, que acabam ficando espalhados por todos os cômodos da casa.

Quando precisamos de algum remédio fica difícil de achar! O jeito é organizar tudo!

Separei algumas dicas muito úteis para a organização da farmacinha, confira:

Checar prazo de validade

Ingerir remédio vencido é no mínimo inútil. Pois ele pode não produzir o efeito esperado, pior ainda será se provocar outros efeitos. Nunca tome medicamentos fora da validade, nem aqueles que estiverem com aspecto estranho: grudentos, moles, duros demais, desbotados. Descarte nos postos de coleta nas farmácias autorizadas. Não vale jogar os remédios vencidos no vaso sanitário, nem no lixo comum!

Separar por categorias

Você pode organizar os medicamentos numa gaveta, prateleira, caixas… Aí vai depender da quantidade de remédios que você possui.

É importante separar tudo por categorias e etiquetar para saber exatamente onde está o remédio que você precisa naquele momento.
Medicamentos líquidos devem ser mantidos de pé para não vazar.

Supondo que baste um recipiente, coloque os de uso contínuo à frente, seguidos dos de uso frequente. Atrás desses vêm aqueles ingeridos esporadicamente.

Não organizar medicamentos no banheiro

O banheiro tem alteração de temperatura frequentemente e muita umidade. Nada compromete mais a integridade dos medicamentos do que esses dois vilões.

Prefira uma gaveta na sala ou um canto no armário do quarto, locais a salvo do sol, da umidade e do calor excessivo. Se houver crianças ou animais na casa, escolha um lugar que seja inacessível para eles.

*É importante ter itens de primeiros socorros em casa

Ter um kit de primeiros socorros é uma ótima forma de garantir que se está preparado para socorrer, rapidamente, vários tipos de acidentes, como picadas, pancadas, quedas, queimaduras e até sangramentos.

  • 1 embalagem de soro fisiológico a 0,9%: para limpar o machucado;
  • 1 solução antisséptica para feridas, como álcool iodado ou clorexidina: para desinfectar feridas;
  • Gazes esterilizadas de vários tamanhos: para cobrir feridas;
  • 3 ataduras e 1 rolo de esparadrapo: ajudam a imobilizar membros ou para segurar compressas no local de uma ferida;
  • Luvas descartáveis, idealmente sem látex: para proteger do contato direto com sangue e outros fluídos corporais;
  • 1 embalagem de algodão: facilita a aplicação de produtos nas bordas da ferida;
  • 1 tesoura sem ponta: para cortar esparadrapo, gazes ou ataduras, por exemplo;
  • 1 embalagem de curativo tipo band-aid: para cobrir cortes e feridas pequenas;
  • 1 termômetro: para medir a temperatura corporal;
  • 1 frasco de colírio lubrificante: permite lavar os olhos em caso de contato com substâncias irritantes, por exemplo;
  • Pomada para queimadura, como Nebacetin ou Bepantol: hidratam a pele enquanto aliviam a queimação da queimadura;
  • Paracetamol, ibuprofeno ou cetirizina: são medicamentos genéricos que podem servir para vários tipos de sintomas e problema comuns.

Pode-se também adicionar um spray de anti-inflamatório ou de frio para reduzir a inflamação provocada por lesões musculares ou articulares.

Agora que você já sabe como organizar seus remédios, bora por a mão na massa!!

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram:@matozolarissa

Facebook:Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

Fonte: https://www.micaelagoes.com.br/o-lugar-dos-medicamentos-e/ https://www.tuasaude.com/kit-de-primeiros-socorros/

Imagens: Google

Compulsão alimentar: como saber se tenho?

Compulsão alimentar é quando a pessoa sente a necessidade de comer, mesmo quando não está com fome, e que não deixa de se alimentar apesar de já estar satisfeita. Pessoas com compulsão alimentar comem grandes quantidades de alimentos em pouco tempo. Durante o episódio de compulsão a pessoa sente perda de controle.

É um dos transtornos alimentares mais comuns na atualidade, que é julgado frequentemente como “falta de disciplina” ou “gula”.

Eu vivo postando no blog sobre vida saudável e a importância dela, e levo isso pra minha vida também, mas eu não sou de ferro…

Quando passo por um período de estresse, nervosismo ou ansiedade a primeira coisa que faço é descontar na comida.

Eu tenho muuuuuuita fome e vontade de comer, é como se eu estivesse grávida. Como de tudo e em grandes quantidades de porcarias.

Sei que isso é uma compulsão alimentar, e pra mim é como se, de alguma forma, eu estivesse “comendo” meus sentimentos.

E o que vem depois disso? Muita culpa e vários quilos a mais!

Muitas pessoas nem imaginam que têm compulsão alimentar, acreditam que somente gostam muito de comer.

Por isso separei as causas mais frequentes que levam á compulsão e os principais sintomas, veja:

Causas da compulsão alimentar

Como se trata de um distúrbio alimentar, as causas não tem uma natureza definida. Cada pessoa pode fazer a combinação de diversos fatores, sejam  eles psicológicos, sociais ou biológicos que ajudam a impulsionar a Compulsão Alimentar, mas algumas dessas causas são mais frequentes:

  • Dieta: As pessoas que fazem uso de dietas muito rígidas e restritivas, acabam, logo em seguida, desenvolvendo a Compulsão Alimentar. Como estas dietas são muito privativas, costumam gerar um sentimento de desânimo que acarreta na incapacidade de parar de comer mesmo quando se está saciado. Desta forma, a pessoa supre, com o excesso de comida, a tristeza que sentiu ao realizar a dieta;

  •   Estresse: As pessoas que são muito estressadas, podem, geralmente, ter momentos que as levem a comer compulsivamente. Este fato leva a um círculo vicioso em que a pessoa come para ficar menos estressada, se sente mais estressada por ter comido tanto e volta a comer para se sentir melhor;

  •   Depressão: Infelizmente, a depressão é um fator determinante para o início de uma Compulsão Alimentar. Pessoas que passaram ou passam por momentos depressivos são mais vulneráveis ao transtorno;

  •   Alimentação emocional: A Compulsão Alimentar também pode atingir pessoas que tem problemas com o peso ou que tem baixa auto estima. Pessoas que tiveram, em sua infância, o uso de alimentos como forma de conforto ou recompensa, também tendem a desenvolver este distúrbio;

  •   Problemas com a imagem corporal: Pessoas que sofrem com a Compulsão Alimentar geralmente não gostam de sua aparência. Sentem medo de engordar, se sentem constantemente gordas e, estes sentimentos, ocasionam tentativas frustradas de fazer dietas mirabolantes que acabam como gatilho para comer ainda mais.

Sintomas da compulsão alimentar

  •  Comer rápido demais;
  •   Comer mesmo sem estar com fome;
  •   Comer até se sentir mal;
  •   Comer continuamente o dia todo, sem ter horários planejados para as refeições;
  •   Comer pouco perto das pessoas e compulsivamente quando está sozinho;
  •   Se sentir culpado ou triste por ter comido demais;
  •   Guardar ou esconder alimentos para comer quando estiver sozinho;
  •   Fazer vários tipos de dietas muito rígidas que resultam em fracasso;
  •   Nunca estar satisfeito com o peso ou a aparência;
  •   A comida se torna um alívio para o estresse, solidão, medo, depressão e ansiedade.

Se você se identificou com os pontos acima, você têm ou passa por períodos de compulsão alimentar. E agora, o que fazer?

O tratamento para a Compulsão Alimentar deve ter o acompanhamento profissional de especialistas em distúrbios alimentares e obesidade, como psiquiatras, psicólogos, médicos, nutricionistas e terapeutas.

Neste tipo de tratamento, o importante é que sejam tratados não somente os sintomas mas também as causas.

O profissional vai direcionar o tratamento tanto para os aspectos físicos quanto para os emocionais.

Em alguns casos, será necessária a ajuda de medicamentos para controlar o distúrbio. Estes medicamentos são utilizados para inibir o apetite, controlar a ansiedade, fobia ou depressão severa.

Faça mais o que você gosta, tenha um hobbie, pratique exercícios físicos, esvazie a mente, medite… Seja pleno e esqueça as neuras!

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram:@matozolarissa

Facebook:Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

Fonte: https://www.vitalatman.com.br/blog/quais-as-causas-da-compulsao-alimentar/

https://www.minhavida.com.br/saude/temas/compulsao-alimentar https://www.sophiederam.com/br/comportamento-alimentar/como-controlar-compulsao-alimentar/

Imagens: Google

Calma…

Eu sei que às vezes é difícil acordar e pensar que tudo vai dar certo pra você. Que talvez seja impossível deixar de lado o dinheiro que não sobra, o cabelo que você não gosta e os amigos que parecem ter nascido sabendo o que fazer. Eu sei que tá difícil economizar, que você não se acha tão bonita assim e que ainda não sabe direito o que vai fazer do seu futuro. Mas calma, cê não é a única.


Eu sei que em muitos dias, tudo o que queremos fazer é deitar o dia inteiro e esquecer. Esquecer de todo o resto, de tudo que tá errado e de tudo que não dá certo. É difícil pra caramba aceitar que nem tudo vai acontecer do jeitinho que a gente quer, na verdade nada ocorre como o planejado. Mas essa é justamente a graça da vida: te surpreender, mesmo que de uma forma ruim. O que te fere hoje, vai ser o que vai te fazer mais forte amanhã.


Decidir o que fazer na faculdade não é algo simples. Imagina, com 18 anos ter que saber qual facul você quer cursar e o que quer fazer pro resto da sua vida? Ainda temos muitos anos pela frente, muitas histórias pra contar. Essa vai ser só mais uma delas, sabe? Eu sei que é difícil ser confiante quando você não sabe se quer Direito, Relações Públicas ou Medicina Veterinária. Eu sei que é difícil se permanecer intacta quando parece que todos os caras são babacas – eu juro, nem todos são. A vida não é fácil. Mas você não precisa pensar que ela é tão difícil assim.


Até as mulheres que você considera lindas, já se acharam feias em algum momento. Odiaram as espinhas ou o cabelo que não conseguiam ajeitar. Até os mais decididos hoje já tiveram medo de escolher entre dois caminhos totalmente opostos em algum momento. Até os bem-sucedidos já tiveram pouco. Todo mundo teve de partir de algum ponto para chegar aonde chegaram.


Ninguém precisa – ou ao menos, não deveria – precisar de um namorado para ser feliz. Você deve ser completa sozinha. Como quer que alguém te ame se você mesma não consegue se amar? Seja sua companhia. O que vier, é lucro. Esqueça aquele papo de que para ter uma vida completa, você precisa casar e ter filhos. Se seus planos são diferentes, corra atrás para alcançá-los. Esqueça o que o resto do mundo espera que você faça.


Crescer não é fácil. A vida substitui os hematomas no joelho pelos machucados no coração. Somos preenchidos por dúvidas, medos, incertezas. Esquecemos o quanto é bom aproveitar os pequenos prazeres da vida, como tomar um sorvete em um dia de sol ou brincar com o nosso bichinho de estimação.


Arrume-se, sinta-se linda. Coloca a sua melhor roupa, sua música favorita e esqueça dos problemas: todos nós temos alguns. Todos temos nossas inseguranças, nossos desafios. Não podemos escapar deles, a melhor maneira é enfrentá-los e provar o quanto somos capazes. Porque sim, você é capaz. Basta acreditar que tudo o que passamos é momentâneo, e se fomos colocados a frente de algo, é porque podemos superar.

Lembre-se: a felicidade não está em ter o maior cargo na empresa, um namorado pra chamar de seu ou estadias em hotéis caríssimos. A felicidade está em saber que você precisa começar do primeiro degrau para chegar no topo. E que tudo isso só depende de você.

Fonte: http://www.letrasnagaveta.com/2017/03/um-texto-sobre-autoconfianca.html

Imagem: Google