Esse cara, não seja esse cara!

Ser humilde não significa se depreciar. Ser humilde significa reconhecer as próprias virtudes e os próprios defeitos. Mais do que isso: é reconhecer o brilho alheio. É entender que por mais brilhantes que sejamos, as outras pessoas também brilham, também realizam, também fazem coisas importantes.

Valorizar as próprias conquistas , sentir-se feliz por ter construído uma boa carreira , uma boa vida social é um direito de cada um de nós. O problema é não conseguir aceitar que as outras pessoas também realizaram coisas importantes , que as outras pessoas também superaram dificuldades, que também se aprimoraram em algum sentido.

Todo aquele que fica jogando purpurina em cima de si o tempo todo como se fosse melhor do que as outras pessoas acaba virando uma companhia chata. Admitir determinadas virtudes em contextos específicos , ok. Às vezes , faz sentido ressaltarmos alguma qualidade positiva. Mas quem tem a mania constante de se auto elogiar e ignorar o que os outros fazem de bom, vai repelindo as pessoas, sem muitas vezes se dar conta.

Cada pessoa valoriza mais algum setor da vida. Algumas pessoas investem mais na carreira. Outras , na vida familiar. Existem ainda aqueles que querem amor acima de tudo. Existem também os que preferem passar por experiências, estudar , viajar , se conhecer melhor , ter tempo livre.

Quando investimos naquilo que valorizamos e obtemos bons resultados , temos a tendência de achar que as conquistas realizadas pelas outras pessoas , em outros setores da vida , são menos importantes do que as nossas. Se alguém luta para ter filhos e consegue, acho que pessoas sem filhos são infelizes. Mas de repente , para estas outras pessoas ter filhos não era o primordial.


Algumas pessoas tem um olhar mais romântico sobre o casamento. Outras , mais racional. Existem aqueles que não acreditam em nenhum tipo de casamento. Enfim, julgar o sucesso e a felicidade do outro por meio dos nossos valores e prioridades pode ser bem limitador.

O brilho das coisas não está realmente nas coisas em si, mas no valor que atribuímos a elas. Somos nós que significamos as pessoas , os objetos , as relações , os lugares , as profissões. O que é liberdade para uns, é solidão para outros. O que para uns é um relacionamento afetuoso, para outros é um relacionamento sufocante. O que pode ser um trabalho instigante para alguns , pode ser muito estressante para outros. O que pode ser considerado tranquilo para algumas pessoas , pode ser visto como tedioso por outros.

Enfim, é a própria pessoa que pode definir se tem uma vida de conquistas , se tem uma vida feliz. E faz parte da dinâmica emocional de qualquer pessoa , independente dos seus valores e prioridades , aceitar o brilho alheio, se comprazer com aquilo que o outro realizou e o faz feliz. Desmerecer uma conquista alheia , diminuindo o mérito do outro , por falta de alteridade ou por inveja mesmo, apequenas todas as outras realizações maravilhosas que a pessoa fez.

O que devemos ter em mente é que cada um é livre para fazer suas próprias escolhas, decidir o que é bom ou não para si mesmo. Quando perguntam para mim e meu esposo se queremos ter filhos e respondemos que não está nos nossos planos, nos olham como se fossemos as piores pessoas do mundo, como se estivéssemos cometendo um crime… Mas a decisão é nossa, e para nós isso não é nenhum pecado!

Entende o que quero dizer? Só porque alguém tem uma opinião diferente da sua sobre determinado assunto não significa que você está certo e a pessoa está errada (e vice-versa), significa que vocês são pessoas diferentes que pensam de maneira diferente!

É difícil entender isso e respeitar a decisão do outro?

Por muuuuito tempo fui a pessoa que carregava a “verdade absoluta”, mas graças a Deus me dei conta de que não sou ninguém para julgar absolutamente ninguém.

Olhe para si mesmo e seja sincero, que tipo de pessoa você tem sido?

 

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: http://obviousmag.org/cinema_pensante/2016/07/reconhecer-o-brilho-alheio-e-uma-forma-muito-especial-de-brilhar.html

Imagem: Google

O que tem na minha necessaire?

Oi gente!

Ontem fiz uma votação lá na fanpage perguntando o que vocês queriam ver no blog hoje. Os temas eram ‘O que tem na minha necessaire’ ou ‘Meus sapatos preferidos’.

E o tema ‘ O que tem na minha necessaire’ ganhou!

Ok, vou mostrar pra vocês os produtos que eu mais uso no dia a dia, vamos lá!

 

 

 

 

 

As maquiagens que vou mostrar não são todas as que eu tenho, separei realmente as que eu uso no dia a dia.

 

✓Pele

 

 

 

 

 

 

 

 

Eu esqueci de colocar aí o meu hidratante facial…

Mas eu uso o primer, um corretivo, a base, o pó, blush e um hidratante labial.

Esses sas os produtos que uso na preparação da pele.

 

✓Sobrancelhas

 

Estou amando esse duo para sobrancelhas da Vult, quem me segue no Instagram viu que postei sobre ele esses dias lá.

Aproveito também que já estou com a pele pronta e passo o iluminador, inclusive logo abaixo da sobrancelha.

 

✓Olhos

 

Gosto de usar essa paletinha de sombras porque so tem tons de marrom nela.

Passo um lápis preto bem suave e um nude na linha d’água para abrir o olhar. Finalizo com muuuita máscara de cicílios e um batom.

 

Bom, esses são realmente meus aliados de make do dia a dia.

O que vocês acharam da minha necessaire? Não esquece de me contar o que tem na sua, hein?!

 

 

 

 

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

Decoração com fotos

Foi-se o tempo em que as fotos eram reveladas, hoje em dia guardamos todas elas no computador ou celular.

Grande parte destas memórias ficam perdidas em nossos arquivos digitais. O que você acha de mudar isto e fazer uma decoração com fotos ai na sua casa?

O efeito de expor suas memórias afetivas e decorar sua casa com elas, vai deixar o ambiente escolhido mais divertido, alegre,  retrô e até familiar.

Separei algumas imagens de decoração com fotos para você se inspirar. Confira!

 

 

 

 

 

 

 

 

É muito fácil compor uma decoração com fotos da sua família, não é verdade? Todos os momentos podem ser especiais para você, e a ideia é dividir este momento com as visitas.

 

 

 

 

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: https://www.dcorevoce.com.br/decoracao-com-fotos/

Imagens: Google

 

Shake your bones! – Playlist para treinar

Pode ser um ritmo estimulante ou simplesmente um som ambiente, mas ela não falta na rotina de quem treina. Mais do que embalar os exercícios, ela traz inúmeros benefícios durante o treino.

De acordo com estudos recentes da Brunel University de Londres, a música melhora o desempenho do atleta em até 15%.

Para se ter uma ideia, o efeito da música na prática de exercícios físicos é comparado ao efeito de medicamentos que otimizam a performance.

Quer saber outros bons motivos para não abrir mão da playlist na hora de treinar? Confira!

 

A música eleva os níveis de prazer durante o exercício

Ao ouvir música durante o treino, o corpo libera uma quantidade menor de hormônios relacionados ao estresse. Em contrapartida, são liberados mais hormônios de prazer, criando a sensação de que o tempo está passando mais rápido.

É como se o atleta treinasse intensamente, sem sentir. A música durante o treino distorce a noção de tempo, deixa o atleta mais confiante e afasta os pensamentos negativos.

Os especialistas chamam o conjunto desses sintomas de estado de flutuação causado pela música. Quando atinge esse estágio, o atleta recebe os melhores efeitos que a música pode proporcionar: aumento de  vigor,

  1. sensação de felicidade
  2. ânimo elevado,
  3. menos emoções negativas como depressão, tensão, raiva e cansaço.  

 

Quem ouve música enquanto treina fica mais resistente

Segundo Costas Karageorghis, treinador e pesquisador que liderou as pesquisas da Brunel University de Londres, seleções musicais de pop e rock aumentam potencialmente (15%) a resistência dos corredores.

Os testes feitos com voluntários revelaram ainda que a utilização dos fones de ouvido durante o treino ajuda os atletas a suportarem treinos mais pesados, mesmo que estejam apresentando sinais de exaustão física.

A música aumenta a resistência física graças à sincronização dos movimentos do atleta com a batida da canção.

Em 1902, pesquisadores descobriram a tendência natural que os homens possuem em coordenar os movimentos com o ritmo de determinada música.

Mas somente há poucos anos que os cientistas chegaram à conclusão de que quem pedala de forma sincrônica com uma música, necessita de 7% menos de oxigênio do que quem pedala aleatoriamente.

 

A música é estimulante

O exercício por si só estimula o sistema hormonal e o trabalho dos neurotransmissores no cérebro, incluindo a criação de conexões interneurais.

A música age nesse contexto, com a habilidade de organizar a resposta para esse estímulo. O resultado disso são passadas mais largas, vontade de chegar ao objetivo e gana para continuar treinando.

A música leva o atleta mais longe sem que ele perceba.

Para ser estimulante, a música deve ter um ritmo forte e marcante, preferencialmente entre 120 e 150 batidas por minuto. Só assim a canção consegue evocar sentimentos que o atleta necessita no treino, como garra e disposição.

 

Escutar música diminui a percepção de dor e fadiga

A música favorece o sistema hormonal, e isso não se limita aos hormônios do prazer.

Segundo especialistas, ouvir música no decorrer do treino diminui a percepção da fadiga e da dor, de modo que o organismo passe a produzir uma menor quantidade de hormônios catabólicos.

O corpo contém hormônios catabólicos e anabólicos. Quanto o catabolismo se sobrepõe ao anabolismo, o balanço metabólico é negativo.

Em outras palavras, isso prejudica os resultados dos exercícios, especialmente os praticados pelos adeptos da musculação.

A música é uma forte aliada para combater esse problema!

 

Você sabia que a música era tão poderosa assim? Confira a playlist abaixo que separei especialmente pra você:

 

1- What so not – Innerbloom

 

2- Colors – Halsey

 

3- Light it up – Major Lazer

 

4- Ocean drive – Duke Dumont

 

5- Middle – Dj Snake

 

6- Never forget you – Zara Larsson

 

7- The hill – The Weekend

 

8- Wherever i go – One Republic

 

9- Believer – Imagine Dragons

 

10- Outside – Calvin Harris

 

Shake you bones babe!!!

 

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Fonte: http://www.ciaathletica.com.br/blog/para-comecar/4-motivos-para-treinar-ouvindo-musica/

Vídeos: Youtube