O Dia dos Namorados vem aí…

Amanhã, 12/6 é comemorado o Dia dos Namorados.

Por onde olho só tem coisas sobre a data:  nas lojas, promoções especiais para o dia dos namorados, nas redes sociais inúmeros sorteios (inclusive na fanpage do blog está rolando sorteio, clica AQUI e participe), as pessoas procurando o melhor presente para seu amor… Tudo nessas últimas semanas gira em torno do dia dos namorados.

Os solteiros detestam o dia dos namorados e quem namora ou é casado fica se cobrando – e cobrando o outro – sobre o presente que querem dar/receber.

Fiquei me perguntando até que ponto isso é bom…

Sou casada, mas se fosse solteira com a maturidade que tenho agora, não me sentiria triste ou deprimida por não estar namorando.

Ser solteiro tem seus pontos positivos: você tem liberdade, o seu dinheiro é só seu, tem tempo para si, pode sair e conhecer gente nova, investe mais na carreira e no crescimento pessoal, pode fazer só as coisas que gosta, pode comprar aquela “brusinha” sem ter que dar satisfação pra ninguém… e por aí vai.

Quando estamos em um relacionamento a história muda, devemos satisfação ao outro, temos que dividir nosso dinheiro, muitas vezes temos que abrir mão das coisas que gostamos, temos que nos dedicar ao outro porque se não fizermos isso seremos egoístas... é claro que tem o lado bom, é muito bom ter alguém para chamar de seu e dividir a vida.

Mas quando estamos em um relacionamento acabamos cobrando demais do outro, não aceitamos erros (apesar de errarmos também) e queremos que a pessoa faça de tudo e mais um pouco para nos deixar feliz.

Se a pessoa fazia algo romântico no início do namoro e agora não faz mais… aí temos um problemão!

Começamos a pensar e a dizer que não somos mais importantes para nosso amor, que talvez ele/ela não goste mais tanto assim de nós, e colocamos tanta coisa na cabeça que nem são verdade.

O que quero dizer nesse post é que é normal com a correria do dia-a-dia deixarmos de fazer algo pelo outro, mas isso não significa que o amor acabou.

No que depender de nós temos que nos esforçar para sermos cada vez melhores para nosso amor, mas devemos entender que o amor também amadurece.

Um beijo de bom dia quer dizer “eu te amo”, um abraço apertado também significa “eu te amo”, um “boa noite” significa que a pessoa se importa.

Existe amor até nas coisas simples, basta pararmos para enxergar.

Pare de esperar presentes para se sentir amado e comece a valorizar os pequenos momentos. A vida passa tão depressa para ficarmos ressentidos por coisas bobas.

Ame e se sinta amado!

 

“O amor, qualquer amor, quando maduro, não pede, tem. Não reivindica, consegue. Não percebe, recebe. Não exige, oferece. Não pergunta, adivinha. Existe para fazer feliz.” Desconhecido

 

 

 

 

Gostou desse post? Deixe seu comentário!

Redes sociais

Instagram: @matozolarissa

Facebook: Coisas de Larissa

Bjsss L.C 

 

 

 

 

Imagem: Google